segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

ANSIEDADE


Este post foi sugerido por uma de minhas leitoras Regina Edna Costa.
Ela me pergunta se ansiedade é genética?
Sim, ela é.
Mas vamos aproveitar que surgiu um tema e falar sobre a ansiedade.
Num outro post falei de Psicossomática, que são as doenças da alma.
Retomando resumidamente o assunto já abordado, emoções boas nos trazem bem estar e emoções ruins, logicamente nos trazem um mal estar. A ansiedade está entre elas.
A ansiedade sempre existiu, desde os tempos primitivos o ser humano sofre deste mal.
Antigamente ficava-se ansioso pela caça, pela busca a proteção contra os perigos que os assolavam.
Embora hoje não tenhamos mais que sair a caça de comida e nem nos proteger dos perigos (como ataques do inimgo ou poteger contra animais ferozes). Hoje nossas preocupações só mudaram de nome, porque o perigo está em todo lugar, e também corremos atrás da concorrência, empregos, família, bem estar, saúde, enfim a lista é enorme.
O gem da ansiedade encontra-se em nossos arquivos genéticos, portanto herdamos esse gem da anisedade de nossos pais.
A diferença está no nivel de ansiedade existente em nossas vidas. E ela dispara quando nos deparamos com situações que exigem nossa atenção.
Podemos dividir a ansiedade em dois grupos: um ansiedade que faz parte do nosso dia-a-dia, quando esperamos uma resposta importante, temos um assunto importante para resolver, automaticamente algo é acionado, e a ansiedade começa a funcionar, com palpitações no coração, sudorese, dor de cabeça, irritabilidade, stress... são conhecidos de todos nós. Podemos considerar portanto que este tipo de ansiedade tem controle, é aceitável, pois resolvendo o problema a ansiedade passa, conseguimos manejar a situação. Estamos adapatados a nossa realidade.
O outro tipo de ansiedade, é quando já não temos mais controle. Neste segundo tipo a ansiedade l o ser humano está desadaptado, é um nível muito alto de ansiedade onde o sujeito chega a uma estafa.
A pessoa não se desliga das diversas funções que assume e de repente já não consegue desempenhar nenhuma função de maneira adequada, ela se perde e se frustra e seu nível de irritabilidade chega ao insuportável.
Nesta altura do campeonato a pessoa precisa de ajuda médica e provavelmente precisará fazer uso de algum medicamento, pois os sintomas vão além da mera irritabilidade e dor de cabeça, já causam insônia, fadiga, dores musculares, dificuldade para se concentrar e outros.
Agora uma pergunta que talvez seja interessante. Podemos viver sem ansiedade?
Temo que não. Imaginem um atleta indo para suas competições sem ansiedade, ele não tem mais o estado de alerta, portanto não teria pelo que lutar. No nosso dia-a-dia, quando diante de um novo projeto, uma apresentação, se não estamos ansiosos não vamos cuidar para que saia da maneira planejada, por isso quando ansiosos num nivel aceitável, cuidamos do que é nosso e de nós mesmos!
Agora por curiosidade. Advinhem que é o ser humano mais ansioso? Sim, a mulher! Creio que isso se deve por causa dos famosos hormônios.
Agora, hoje em dia 5% da população padece de um distúrbio generalizado de ansiedade.
Portanto, busque qualidade de vida para que voce não venha a fazer parte destes 5% ou até mesmo a contribuir para o aumento deste número.
Alimete-se bem, pratique um esporte, busque tempo de lazer, faça coisas que você gosta, leia, escute uma boa música, de risada com seus amigos e familia. Isso só vai te ajudar a se aliviar de dias estressantes e angustiantes.
Se quiser ler mais sobre ansiedade, visite:
http://www.abril.com.br/noticia/ciencia-saude/no_300548.shtml
http://virtualpsy.locaweb.com.br/index.php?art=181&sec=96